Registro de ocorrência

Na Ipiranga, ao longo de uma curva
onde os automóveis em alta velocidade
costumam derribar-se, o acidente
(banal? fatal?) tranca toda a cidade.

Colisão traseira ou lateral? Faz alguma
diferença? Nenhuma.. E logo
se forma a procissão de carros (ou gente)
como aguardando o fogo.

O que se vê, as pessoas, todas
procuram a confirmação
de que não são elas mesmas ali
no trauma fatal da concussão.

Morrer todos morrem, mas quem espera?
A morte é coisa que o corpo dá a ciência.
A alma? Às vezes é morta antes.
Não que se registre a ocorrência..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s