Ambiente de testes

Ninguém viu ainda –
ao que se saiba –
um pássaro testando o ar.

E nunca se soube também
como os peixes se preparavam
antes do primeiro mergulho.

Há coisas que
sempre se deram
ou uma vez começaram?

Ouve o que eu digo:
não há muito o que entender
quando se está dentro de uma caixa,

mas, por parti-la,
os pedaços às vezes acusam
o inimaginável.

No limite, qualquer coisa se acaba.
Sem acúmulo nem edificações,
só uma sucessão de desmanches.

De eterno mesmo, só o abraço dessa criança
apertando sem desespero
a um boneco, sem esperança.

Mesmo o eterno dura poucos dias
e sua desfeita maior
é dissolver utopias.

Como pode pássaro ou peixe
viver num universo destes
que não admite testes?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s