Inconsequente

Sei perfeitamente bem
que os ventos varrerão das águas
as menores lembranças dos peixes.

Não é a missão do destino
desamarrar encontros e, depois,
continuá-los em cada um?

Eu sei.. Já não preciso que me repitas.
Nem ao céu das fragatas
restará, que seja, um rastro.

E nem haverá novas palavras,
pois cada instante passado
é de uma força estúpida,

inconsequente, e contra a qual
resta o quê? Não é o mesmo cão
mordendo ainda a mesma corrente?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s