Safári

O que mais custa ao tempo
é o que ele não destrói
a contento.

A pele que ele mal retira
e vai ficando
nos dedos.

O pouco que ele
resolve por vingar,
mas que acaba morrendo.

Custa a obra
de uma eternidade
ser tão indigesto

e mais a quem
o especula
no esquecimento.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s