O sal

Derrubando as ondas do mar,
o vento vai. Como ele é

contínuo e não se espedaça,
eu não sei. Suas altas

espáduas sobressaltam
o sal, mas nisso fracassam

também. É que até
na bruma ele sói habitar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s