O tigre e o rajá

tigre

Germina – Revista de Arte e Literatura

1

sou cada vez menos rio e toda a água
cada vez menos fogo e todo incêndio
cada vez menos eu salto mas não aterriso

2

a minha face é outra também, cada vez menos minha
fui me deixando nos espelhos, nos olhos dos outros ao inverso
e fico assim por um gosto peculiar (eu sei que são um bom lugar)

3

sou um tigre dispensando as listas, cada vez menos felino,
e que deixou a escassa floresta sem uma casa sequer, todo afobado
e cada vez menos dentro que fora, agora não tem por posse nem o telhado

4

aposto que um dia desses serei tratado como o rajá que não sou
cada vez menos rei e mais um tigre, do que eu era, me vou
e se fui demais ou um pouco além, cada vez menos tigre também

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s